19 dezembro 2010

O Jornal de Monchique faz anos

O Jornal de Monchique faz 25 anos
Atã nã é qu', ôs 25 anos, o Jornal de Monchique já saíu 327 vezes cá p'ra fora?!... E 'tá p'a durar...


'Tive aí num certo sito com a minha Maria e, isto, as m'lheres, já se sabe c'm' é qu' elas são. Nã há coisíssema nunhuma qu' elas nã dêem notiça. De manêras que trôve logo uma nova p'a me dar, tã penas chigamos ô monte.

Nã é que seja coisa do ôto mundo, mái, d'zer a verdade, tem que se l'e diga. É qu' o Jornal de Monchique, chigando ô dia 21 deste mês, faz anos. E já tem uma bela conta, nã cudem... P'ro jêto, des que são já vinte cinco.

- S' acuaso isso é assim c'm' tu dizes, Maria, é certo e sabido qu' o chefe lá daquilo nã dêxa perder um atopo desses sem fazer uma festa de tôd' ô tamanho...

- Atã, e nã é caso p'ra menes. Já tenho ôvisto falar qu' ele parceram por 'í muntos jornás, daqueles que fazem lá im Lisboa e nôtras bandas, que nã duraram esse tempo todo...

O Jornal de Monchique faz 25 anos
Tôdes meses, cá vem ele. Nunca falha...


- Calhando...

- E sará qu' ele, lá o chefe do Jornal, s' alembrará cá da gente? P' a s' ir tamém à função...

- Nã querias mái mel texugo?!... Logo, que o qu' ê cá tenho ôvisto é que o Jornal nã tem lá grandes posses p'a coisas dessas, e, despôs, que, mémo que t'vesse, o senhor dôtor Zé Gonçalo nã no ia consumir com a gente. Atã assim, ia a famila aí toda de Monchique...

- O senhor dôtor Zé Gonçalo?!... Atã é ele que manda lá naquilo?...

- Cudo que sim. P'r menes é o que diz no Jornal: 'Director: Nobre Duarte'...

- Olha!... E ê cá a cudar que era o ôtro senhor dôtor, tamém da méma farmácia...

- Quem? O senhor dôtor Zé Manel?... Esse, béque-me, tamém manda lá bem munto, sim...

- Atã isso sabe-se... Já rapairaste quem é que escreve sempre, logo na sigunda lauda, umas coisas daquelas que têm que se l'e diga? Eles, se nã 'tô atribuído, chamam-l' 'editorial' ó uma coisa assim...

- Mái, nôtres tempos, béque-me nã era ele. Calhando, ora é um, ora é ôtro...

- Dos que mandam, em dôtores, só falta o senhor dôtor Paulo Rosa, qu' o senhor Carricinho, cudo ê cá, nã é tal coisa...

- Pôs não, mái sabe mái que muntos... Foi ele que insinô parte dos que, agora, sã dôtores. Essa é qu' é essa!...

O Jornal de Monchique faz 25 anos
Mal se vê, mái 'tá ali a famila toda que faz o Jornal de Monchique...


'Tava ê cá e a minha Maria, sa senhora boa vida, no mêo desta conversa, logo pracàzinho da casola dos coelhos, soô, parêceque, uma rasmalhada ali p' trás dumas tôiças. Calamos-se e vá de s' ingrilar p'a lá a ver o que era.

Ora o que era. Era o 'Lanzudo'... O 'Lanzudo' é o canito do mê compad'e Jôquim do Barranco, um b'chinho, aquilo que se pode ch'mar uma coisa bonita. Todo branco, todo cabeludo, azedo do pior em 'tando ô monte, e nã pode ver nada mexer que joga-se logo.

E s'o 'Lanzudo' 'tava ali, era qu' o dono - ó a dona... - tamém nã 'tariam munto desviados. Bem dito, bem fêto, assim chigaram logo os dôs atrás dele.

´Tejam com Dés, venham com Dés, c'm' é 'tão, c'm' é que não 'tão, lá se falamos todos c'm' é dado. Volto-me ê cá p'a eles os dôs:

- 'Tava-se a gente aqui a falar qu' o Jornal de Monchique já há vinte cinco anos que começô. Vejam lá c'm' o tempo passa a fugir. Parêce que foi ontordia...

O Jornal de Monchique faz 25 anos
Faz uns tempos, nã sê o qu' é que l'es deu, desataram a pôr aqui as patacoadas do Parente da Refóias...


- Tó, diacho!... Já vinte e tal anos!... Pôs ê cá, mémo nã sabendo ler quái nada, arrecebe-o désna do prencipo. Gosto de saber aquelas coisas. E a minha C'stóida tamém...

- Sim tamém vejo quái sempre os retratos da famila que morreu e isso tudo...

- Atã e nã tem lido tamém aquelas patacoadas cá do Parente da Refóias qu' eles, faz uns tempos, desataram a pôr lá?

- Ê cá nã tenho vagar pra isso, compadre... Vejo os retratos e já é munto. O qu' é vomecêa cuda?... E p'a ôvir as suas patochadas nã tenho precisão de ler o Jornal de Monchique. É só vir aqui e ôvi-lo falar...

Aí, calí-me, qu' a minha c'madre C'stóida nã vinha de munto boa avêa e nã fosse a gente impinar p' ali os barretes.

Mái, voltando ô Jornal de Monchique, indo gostava dele fazer más ôtros tantos anos e ê 'tar cá p'a ver. Ah isso gostava! E s' isso nã se dar, tenho a firme certeza que nã é p'r o Jornal ter desparcido. Ê cá é que já fui fazer uma viaja só com bilhete p' à banda de lá...

Parabéns ô Jornal de Monchique e à famila qu' o tem fêto désna d' há um q'ortêrão d' anos até agora. Aguentem-no até o mê-cento, p'a nã pedir, logo, até ô moio.

E Dés l'es dê saúde.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Obrigado por visitar e comentar "O Parente da Refóias"